domingo, 28 de janeiro de 2018

Resumo Official das Operações da Expedição as Ordens do Excellentissimo Duque da Terceira, desde o seu desembarque no Algarve, até á sua definitiva entra da em Lisboa

Castelo de Almada, circa 1835. Artista: Grunewald.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor, — A irregularidade das communicações, que tiverão lugar entre a Secretaria d'Estado dos Negocios da Guerra , e o meu Quartel General, no decurso dos movimentos rapidos, que me foi necessario executar, tanto no Algarve, como no Além-Tejo até Lisboa, não me tendo permittido ter o Governo ao corrente do progresso das mesmas operações, julgo do meu dever levar ao conhecimento de Sua Magestade Imperial o Senhor Duque DE BRAGANÇA, Regente em Nome da Rainha, a Historia resumida desta Campanha, por me persuadir, que só assim posso cumprir com a obrigação, e gratidão, em que me acho penhorado para com as Tropas, que tive a honra de Commandar, e a cujo valor, e constancia devo o successo colhido.

No dia 24 de Junho proximo passado a. Divisão do meu Commando na força constante do Mappa numero I, efectuou o seu desembarque na Praia situada entre o Forte de Cacella, e a Bateria do Monte Gordo, tendo alguns tiros da Esquadra calado as Baterias daquelle ponto, da Costa , e não se apresentando ninguem na Praia para disputar o desembarque, que se achou completamente terminado pela meia noite. Em quanto o desembarque se efectuava, a Guarnição de Villa Real de Santo Antonio tinha abandonado aquella Villa na direcção de Alcoutim, e tendo o Visconde de Mollelos reunido a Guarnição, que tinha em Tavira, Faro, e visinhanças, e postado esta força na margem direita do Almarge para esperar naquelle ponto a marcha das minhas Tropas.

Na madrugada de 25 começou a Divisão a sua marcha sobre Tavira, continuando-a sem encontrar resistencia até ao Almarge, onde achou a força do Visconde de Mollelos occupando as alturas da margem direita do rio, que ali passa. Alguns atiradores estendidos nos flancos da Columna começárão a repellir os do inimigo; e a marcha não interrompida da Divisão para a frente foi suficiente para pôr o inimigo em plena derrota, na qual abandonou huma peça de Artilheria de calibre 6. A nossa perda neste encontro foi apenas de hum Oficial ferido, o Major David, de cujos talentos, valor, e serviços, huma molestia subsequente privou desgraçadamente o Exercito alguns dias depois; e dous Soldados feridos.

O inimigo na sua fuga precipitada atravessou Tavira sem fazer alto; e só suspendêo a sua marcha, quando chegou a Faro; de maneira que, ao entrar em Tavira, achei aquella Cidade inteiramente abandonada pelos rebeldes.

D’alli expedi o Coronel de Milicias de Béja, Domingos de Mello Breyner para Villa Real, encarregando-o do Governo Militar daquella Villa, e Povoações visinhas ao longo do Guadiana, e dando-lhe instrucções, e meios para o immediato armamento de Corpos de Voluntarios para apoiar a manifestação dos sentimentos de Fidelidade dos Povos daquellas partes. Deixei em Tavira os feridos, os doentes, algumas praças cançadas da primeira marcha, e o Destacamento de Lanceiros da Rainha ainda apeados: e no Governo Militar de Tavira, com instrucções, e meios analogos aos acima referidos, deixei o Major de Cavallaria Rezende.

De Tavira marchei para Olhão no dia 26, e alli a minha Divisão foi recebida com o maior enthusiasmo pela Povoação, cujo amor, e fidelidade a Sua Magestade, e ao Governo Constitucional, são na verdade dignos do maior elogio. Com a minha chegada a Olhão, o Visconde de Mollelos continuou a sua retirada sobre S. Bartholomeu de Messines.

No dia 27 entrei em Faro; e alli veio tambem a Esquadra de Sua Magestade Fidelissima, e nella o Duque de Palmella, que tomou immediatamente conta do Governo Civil da Provincia, segundo as instrucções, que lhe havião sido dadas. E em recolher alguns meios indispensaveis para o progresso da marcha, como, cavallos para os Oficiaes montados, e algumas bestas de primeira necessidade para transportes, empreguei o resto daquelle dia, e huma parte do dia 28.

Na tarde de 28 a segunda Brigada do Commando do Brigadeiro Antonio Pedro de Brito marchou para Loulé, com ordem de pernoitar naquella Villa, e reunir no dia seguinte á primeira Brigada no sitio de Quarteira sobre a estrada de Silves.

No dia 29 marchárão a primeira Brigada de Faro, e a segunda de Loulé, ao sitio de Quarteira, onde ambas acampárão.

Em Quarteira recebi a noticia de que parte das forças existentes no Algarve, que se achava de Guarnição em Albufeira, Lagos, Sagres etc. se tinha reunido em Silves, e com algumas peças de Artilheria marchava acceleradamente sobre S. Bartholomeu de Messines para se reunir ao Visconde de Mollelos, o qual já tinha abandonado aquelle ponto, e continuado a sua retirada por S. Marcos da Serra para Santa Clara.

Puz-me immediatamente em marcha para S. Bartholomeu, cobiçoso de achar ainda alli esta força fugitiva; porém a minha diligencia foi baldada; porque, chegando a S. Bartholomeu no dia 30, achei que o inimigo tinha passado muito além desta Villa, tendo alli abandonado 3 peças de calibre 3, cujos reparos tinha inutilisado; e bem assim huma quantidade de polvora, que apenas havia tido tempo de lançar em alguns poços.

Assim, em 6 dias, contados do momento do desembarque da Divisão no Algarve, esta Província estava livre dos rebeldes, o Governo intruso tinha sido abjurado por todas as Povoações; grande numero de Oficiaes, e Soldados, especialmente d'Artilheria, servião já nas nossas fileiras; todas as baterras da Costa, e suas munições, todo o material de guerra da Provincia tinha cahido em nosso poder; e toda a força dos oppressores tinha sido arrojada além das Serras de Monchique e Caldeirão. 


Toda a Divisão do meu Commando se achava em S. Bartholemeu, á excepção dos doentes, e Lanceiros desmontados, que estavão em Tavira, e do Batalhão de Atiradores da Rainha, que ficáva de Guarnição em Faro com o Governador Lima para protecção dos Depositos alli existentes, e para se refazer de alguns objectos, de que carecia.


S. Bartolomeu de Messines.

A celeridade dos movimentos até alli executados não me tinha permittido reunir os meios indispensaveis para huma serie de operações, que me afastasse mais do centro dos meus recursos. As minhas reservas de polvora tinhão ficado em Faro; alli tinha ficado igualmente a artilheria de montanha, e a de campanha tornada já aos rebeldes; era portanto necessario reunir todos estes meios, e por isso fiz alto em S. Bartholomeu, passando para Faro as Ordens precisas, para chamar á Divisão todos estes objectos, o que era facilitado naquelle ponto pelo transito por agua até á Cidade de Silves.

Foi durante este alto, que o benemerito Major José Pedro de Mello, com o Alferes Couceiro, e 5 cavallos, que eu tinha mandado no dia 2 a reconhecer, o que se passava em S. Marcos da Serra, onde os meus exploradores erão interceptados, foi alliardilosamente capturado pelas Ordenanças armadas, que o Visconde de Mollelos tinha feito reunir, e que, em consequencia deste desagradavel acontecimento, mandei áquella Povoação hum destacamento de Caçadores, com a apparição do qual as Ordenanças se retirávão, levando comsigo os poucos habitantes de S. Marcos, e deixando a povoação deserta; destacamento, que regressou a S. Bartholomeu na manhã do dia 3.

No mesmo dia 3 de Julho vim no conhecimento de que o General Mollelos se tinha retirado por S. Martinho das Amoreiras até Gravão, onde convergem as estradas, que vem do Algarve por Almodovar e Ourique, e por Santa Clara, a ultima das quaes o inimigo tinha devastado na sua passagem com huma barbaridade verdadeiramente atroz. Fui alli igualmente instruido de que o Coronel Breyner, ou antes os Voluntarios, que ele havia reunido, com hum destacamento de 50 Atiradores da Rainha, que lhe havia mandado de Faro o Duque de Palmella, tinhão avançado sobre Mertola; e reunindo a si huma Guerrilha de Serpa e visinhanças, projectavão, ou tinhão executado hum movimento sobre Béja, que alvoroçada sacudio o jugo com a sua aproximação.

Julgando então conveniente aproximar-me desta pequena força, e do caminho mais curto para Béja e Campo d'Ourique por Almodovar, determinei-me a vir occupar de novo Loulé, como ponto de partida para além das Serras; por isso que estando assim muito mais proximo de Faro, e sendo o termo de Loulé abundante em cavalgaduras, poderia mais facilmente reunir os transportes para as reservas e Artilheia, assim como para alguns viveres indispensaveis para fornecer a Divisão nas marchas desprovidas a travez da Serra, e efectuei este movimento, vindo occupar Loulé na manhã do dia 4.

Em quanto fazia preparar em Faro, e reunir em Loulé os objectos acima mencionados, tres movimentos diversos se me oferecião para continuar as minhas operações; e as noticias, que os meus emissarios recolhião na frente, devião decidir a minha escolha entre elles.

Erão estes movimentos: primeiro, penetrar em Além Tejo directamente pela estrada de Almodovar: segundo, seguir para o mesmo fim a estrada de S. Marcos: terceiro, ganhar a margem do Guadiana, e avançar por Mertola sobre Béja, movimento este, que me obrigava a huma marcha retrógrada por Tavira, unico caminho praticavel entre Loulé e Mertola; qualquer porém que fosse o movimento, a fazer, só poderia começar quando estivessem reunidas a Artilheria, e os transportes.

No dia 7 de Julho, estando efectivamente prompta a maior parte dos meus meios, e dispondo-me eu definitivamente a penetrar no Além-Téjo pela estrada de Almodovar por me constar que o inimigo tinha as suas forças em Messejana, Gravão e Castro Verde, recebi a noticia da completa derrota, e captura da Esquadra rebelde pela Esquadra de Sua Magestade Fidelissima, e ao mesmo tempo hum Oficio do Duque de Palmella, em que me pedia, instantemente aproximasse de Lagos, huma força consideravel para pôr o Almirante em estado de desembarcar, e organizar o grandissimo numero de prisioneiros, que tinha produzido a captura da Esquadra, e passasse eu mesmo a Lagos para combinar com o Almirante o plano ulterior de operações, no qual a derrota total da Esquadra devia necessariamente ter huma influencia.

Em quanto com o meu Estado Maior me dirigia a Lagos, assentei dispôr a Divisão pela maneira seguinte: A 1.ª Brigada occupando S. Bartholomeu de Messines; a 2.ª, marchando sobre Albufeira para dalli vir a Lagos, sendo necessario: a Artilheria, e Corpo Academico ficando em Loulé promptos a marchar na direcção, que se lhes indicasse: finalmente o Coronel Breyner tendo ordem de occupar Mertola com a força, de que dispunha, reforçada por hum novo destacamento de Atiradores da Rainha, dos quaes o maior numero, continuou a permanecer em Faro.


Chegado a Lagos no dia 8 fui testemunha ocular dos brilhantes resultados da victoria alcançada pelo Almirante Visconde do Cabo de S. Vicente; e as Guarnições dos Navios a prezados tendo manifestado da maneira a mais positiva a sua adhesão á Causa de Sua Magestade, contra a qual tinhão servido de máo grado, de accordo com o Almirante engrossei as fileiras da Divisão com huma parte dos Soldados da Brigada Real da Marinha, voluntariamente nellas alistados, e em vista das circumstancias, resolvi immediatamente penetrar no Alemtejo pela estrada de S. Marcos e Santa Clara. Para este fim reuni os Corpos da Divisão em S. Bartholomeu de Messines no dia 10, e no dia 12 estavão naquella Villa igualmente reunidos todos os meios de guerra e munições de bôca indispensaveis para transpor a Serra, e operar em Alemtéjo; e devendo este movimento alongar-me mais e mais do Algarve, fiz partir para Faro o Brigadeiro Brito, encarregando-o interinamente do Governo das Armas desta Provincia.

No dia 13 marchei de S. Bartholomeu sobre S. Marcos, em 14 estabeleci o Campo junto a Santa Clara, o em 15 junto a Gravão, onde fez alto a Divisão por todo o dia 16 para reunir a artilheria de Campanha e os foguetes que vinhão huma marcha na retaguarda.

Igreja Matriz de Garvão

No campo de Gravão [Garvão] me foi confirmada a noticia dos acontecimentos de Béja, sabendo que o Visconde de Mollelos instruido em Messejana da revolta daquella Cidade contra o governo intruso, e da pequena força que alli se achava, marchára sobre Beja, que a referida pequena força evacuou á primeira noticia da sua marcha , e occupava aquella Cidade, onde as suas tropas tinhão cometido os maiores horrores, e onde se lhe devião unir alguns reforços avultados.

Penalisado em extremo da sorte dos leaes habitantes de Béja, resolvi com tudo aproveitar-me do erro que o inimigo havia comettido de deixar descoberta a estrada da Capital, e cheio de confiança na audacia dos dignos Oficiaes, e incançaveis Soldados da Divisão, e no valor de huns e outros, tantas vezes experimentado, esperando muito dos bons desejos dos Povos, á medida que me aproximasse da Capital, adoptei a resolução de deixar em Béja o Visconde de Mollelos com as suas forças, e os seus reforços, e certo de ganhar sobre elle ao menos duas marchas, vir arvorar as Bandeiras de Sua Magestade Fidelissima nas margens do Tejo, e segundo as circumstancias nas proprias Torres da Capital. Convencido porém, de que hum movimento tão atrevido só devia produzir completo resultado, quando as almas de todos os cooperadores se penetrassem da sua alta importancia, convoquei em Messejana, onde estabeleci o meu Quartel General na noite de 17, os Brigadeiros e Commandantes dos Corpos da Divisão, com os Chefes das Repartições do meu Estado Maior, e expondo-lhes de huma maneira singela o meu projecto e as minhas esperanças, sem lhes dissimular os riscos, nem as dificuldades, tive a satisfação de ver estes intrepidos e valentes Camaradas, adoptarem unanimes as minhas idéas, e prestarem-se com a força da convicção a segui-las contentes e enthusiasmados; e apenas no dia seguinte 18, os Soldados percebêrão que deixando á direita a estrada d'Aljustrel, tomavamos a de Alvalade, as vozes, a Almada, a Lisboa, corrêrão de bôca em bôca, nas fileiras, e fizerão esquecer ao Soldado as fadigas, as privações, e o trabalho.

No dia 19 pernoitou a Divisão junto ao lugar dos Bairros, e pondo-se em marcha na madrugada de 20, passou o Sado no váo de Porto d'El Rei, estabelecendo se a noite o Campo no Val de Ferreira.

Alcácer do Sal, visto da outra margem do rio Sado.

No dia 21, proseguindo a nossa marcha até á proximidade d'Alcacer, pertendeo o inimigo cobrir a entrada com huma pequena partida de Voluntarios Realistas, por isso que ignorante da rapidez do meu movimento, julgava unicamente que huma partida de guerrilhas marchava a ataca-lo. Este pequeno troço foi logo dispersado, ficando quasi todo prizioneiro, e escapando unicamente alguns fugitivos, que levárão a Setubal o terror e a noticia da aproximação de Tropas Regulares. A Villa de Alcacer recebeo a Divisão com o maior enthusiasmo, e tendo esta descançado alli algumas horas, veio acampar nos montados vizinhos á Quinta de Palma.

No dia 22 encontrei o inimigo em posição na frente de Setubal; e alguns tiros de artilheria dirigidos sobre a minha columna em marcha annunciárão a sua intenção de esperar o combate: porém a columna continuando a avançar com passo accelerado, e coberta nos seus flancos por alguns atiradores, o inimigo começou logo a sua retirada, que eu persegui atravez da Villa de Setubal até á Quinta Esteval sobre a estrada de Azeitão, fazendo-lhe hum numero considerabilíssimo de prizioneiros, tanto Oficiaes como Soldados, e recebendo hum grande numero de Praças apresentadas. Os Castellos de S. Filippe e Torre do Outão abrírão as suas portas e arvorárão o Estandarte da Lealdade; e eu, depois de haver dado as providencias indispensaveis para a manutenção da ordem na Villa, vim pernoitar com a Divisão junto da Quinta do Esteval sobre a estrada d'Azeitão, em quanto huma companhia de Infanteria era destacada pela estrada de Palmélla, devendo na manhã seguinte reunir-se em Azeitão á sua respectiva Brigada.

Quinta do Esteval, entre Setúbal e Palmela.

Neste meio tempo as notícias da minha entrada em Alcacer, da derrota da força do Commando do Brigadeiro Freitas em frente de Setubal, erão pelos fugitivos levadas á Capital; e o Duque do Cadaval fazia apressadamente passar a Almada huma parte da Guarnição de Lisboa, comprehendidos nella 3 Esquadrões de Cavallaria, e confiava o Commando desta força ao General Telles Jordão, predestinado a encontrar alli a morte, depois de testemunhar a derrota e completa debandada dos seus soldados.

As 3 leguas de areal, que separão Azeitão do Lugar d'Amora, forão transitadas pela Divisão na manhã de 23, sem dívizar posto algum do inimigo, e apenas naquelle ponto da estrada apparecêrão as suas avançadas de Cavallaria, as quaes logo que presentirão a nossa presença se retirárão, e pelos paizanos, que vierão da frente, soube que a primeira posição occupada pelo inimigo era a das colinas, que dominão a baixa de Corroios do lado d'Almada.

Alli tinha o inimigo estabelecido huma linha d'Atiradores; e tendo eu estendido alguns Caçadores sobre as flancos da columna, continuei a minha marcha, retirando-se os Atiradores inimigos de altura em altura até penetrar na estrada escavada, que por entre as barreiras do Alfeite desemboca no Valle da Piedade.
Cova da Piedade (c. 1900)

Este Valle, prolongamento da enseiada do Téjo por traz de Cacilhas limita ao Sul as alturas de Almada, e oferece hum pequeno Campo plano, onde vem desembocar de hum lado a estrada, que eu seguia, e do outro as estradas do Pragal na esquerda, de Almada no centro, e de Cacilhas por Mutella na direita.

He ali que o inimigo, conhecendo que me era superior em Cavallaria, pertendia attrahir a minha Columna para tirar partido daquella arma, manobra esta que eu tinha previsto pelo conhecimento prévio do terreno, confirmando-me nesta idéa a fraqueza da resistencia opposta até alli, á minha marcha. Com efeito apenas os meus flanqueadores estendidos no Valle tinhão desalojado os do inimigo, e a testa de Columna desembocava no mesmo Valle pela estrada do Alfeite, dous Esquadrões de Cavallaria lançados da estrada de Cacilhas carregárão com todo o impeto de quem conta com huma Victoria certa; porém os meus Atiradores reunindo á Columna com o maior sangue frio e presteza, e os Batalhões de Caçadores Numeros 2 e 3 do Commando do Coronel Romão e Major Vasconcellos, ambos á voz do Brigadeiro Schwalback repellírão este ataque com tal denodo e acerto que a Cavallaria inimiga, sofrendo huma grande perda, fugio em completa debandada cobrindo-se contra o meu fogo com os armazens da Cova da Piedade.

Mallograda assim a esperança do inimigo, tudo indicou que ele só cogitava de retirada; e por isso deixando o Regimento 6.° de Infanteria cobrindo as estradas do Pragal e Almada, que o inimigo tinha cortado, prosegui com o resto da força direito a Cacilhas para cortar ao inimigo a retirada, occupando todas as avenidas, que descem de Almada, com Companhias destacadas do 3.° Regimento de Infanteria.

Na entrada do Lugar de Mutella, enfiando hum dos ramaes da estrada, tinha o inimigo colocado 2 peças de campanha; mas a Columna, desprezando o seu fogo, correo sobre ellas á baioneta, e as peças forão tomadas. Progredi então sem obstaculo até ao Caes de Cacilhas, onde a minha testa de Columna penetrou com a ultima luz da tarde.

Cacilhas (c. 1900)

He impossivel descrever o espectaculo que apresentava aquelle Lugar: Infanteria, Cavallaria, Artilheria, Bagagens, Generaes, Officiaes e Soldados, se precipitavão confusamente nos barcos proximos ao Caes, confusão que augmentada ainda pela escuridade da noite, apresentava à imagem de hum verdadeiso cahos; mas honra seja dada aos generosos triumphadores da usurpação, a baioneta do Soldado que provocara e debellara o inimigo na carga embotou-se para o inimigo vencido; as nossas espadas entrárão nas bainhas, e os vencidos confundidos com os vencedores parecião meia hora depois irmãos de ha muito reconciliados.

Como porém existisse ainda huma força na Villa e Castello d'Almada, fiz contramarchar a Columna; e deixando sobre o Cáes de Cacilhas a conveniente Guarda, avancei pela calçada de Almada até a entrada daquella Villa, e caminho que conduz ao Castello; mas como fosse completamente noite, a victoria estivesse decidida, e eu quizesse poupar o sangue dos meus Soldados, o dos desgraçados vencidos, e as desordens inseparaveis da entrada violenta de huma Povoação, especialmente de noite, o Brigadeiro Schwalback, que Commandava a testa de Columna, mandou o seu Ajudante de Campo, o Alferes Jorge, como Parlamentario, intimar á pequena força que existia em Almada, que depozesse as armas; mas causa-me horror dize-lo, o Parlamentario, a despeito de todas as Leis da guerra, foi accomettido pelos Cavalleiros rebeldes, e recolheo a Columna ferido mortalmente.

Permaneci nas posições, que occupava, até á primeira luz do dia 24, no qual progredi sobre Almada, donde a pequena força inimiga se tinha dissipado, e apresentado em parte, e cujo Castello se rendeo á primeira intimação, ficando a sua guarnição prisioneira de guerra, e depondo as armas na Esplanada.

Alli recebi a notícia de que o Duque do Cadaval e toda a Guarnição de Lisboa, tinhão evacuado a Cidade, a qual livre do jugo que a opprimia, tinha proclamado o Governo de Sua Magestade Fidelissina; e no momento em que a Bandeira da Rainha era inaugurada no Castello d'Almada, as Salvas d'Artilheria da margem do Norte, annunciavão que a mesma suspirada inauguração tinha lugar nos muros da Capital.

Os habitantes de Lisboa estendião os braços aos meus Soldados, eu corri a elles na tarde do mesmo dia 24, sendo-me impossivel exprimir o enthusiasmo com que forão recebidas as Tropas, e o enthusiasmo com que o Povo elevava até ao Ceo os Nomes da Rainha, da Carta, e o de Sua Magestade Imperial o Duque Regente.

Retrato de António José de Sousa Manuel de Meneses Severim de Noronha, Duque da Terceira, pelo pintor britânico John Simpson, em 1835.


Deos guarde a V. Ex.ª. Quartel General em Lisboa, 29 de Julho de 1833. = Illustrissimo e Excelentissimo Senhor Agostinho José Freire. = Duque da Terceira.

Sem comentários:

Publicar um comentário